Volátil Pinacoteca

Comidinhas pro primeiro domingo do ano

Posted on: janeiro 3, 2011

Não é novidade que eu adoro comida. Já tive um blog de receitas, que por falta de tempo (e de interesse mesmo, cansei de escrever só sobre uma coisa – sem contar que food blog com fotos de câmera de celular é uma das coisas mais deprimentes do universo) eu coloquei em um idle sem hora determinada pra acabar. Tenho uma coleção bem fornida de livros de culinária, adoro blogs de comida (e eu prometo um post com os mais-mais, na minha humilde opinião). Uma das celebridades com quem eu mais de identifico é a Nigella Lawson. Linda, voluptuosa, ama cozinhar e comer, fazer festa e drinks bonitos. Adivinhem o que eu ganhei de Natal do meu atento namorado?

Nigella Bites

Nigella Bites

Talvez por adorar tanto a Nigella e seu jeito despreocupado de cozinhar, eu não saiba fazer muitas comidas de verdade. Sabe carne de panela, feijão preto, assados, essas coisas sustanciosas, que enchem uma mesa e os olhos com fartura? É, eu não sei fazer. Eu morro de medo de panela de pressão.  Mas eu sou a rainha dos cupcakes, das tortinhas, dos petiscos, do creme de leite e da confort food. A ponto de na festa de Natal da nossa turma de amigos, no esquema cada-um-leva-uma-comida, meu namorado fazer a lentilha e eu aparecer com potes gigantescos lotados de linguicinhas agridoces. Foram um sucesso, mas cadê a maturidade dessa garota? Perdida no meio de buttercream?

Talvez por isso eu tenha ficado tão orgulhosa de ter feito meio primeiro almoço com cara de comida de gente grande. Eu fiz um estrogonofe do zero, picando a carne, engrossando o molho, refogando tudo. Meus estrogonofes até hoje limitavam-se a usar a carne em iscas já pronta (o famoso ukisobô) e misturar com creme de leite. Sim, escuto as gaitadas de vocês do outro lado da tela. “Mas que fraude”, diriam alguns, com um pouquinho de razão, “a louca escreveu um blog de receitas por dois anos e nunca tinha feito um estrogonofe decente”. Isso que vocês não sabiam que ontem eu fiz meu primeiro purê de batatas.

mashed potato, mashed potato

Começou com a leve indignação pelo tradução errada no Nigella Bites. Dou de cara com uma receita chamada “Batatas Amassadas”, ou seja, uma tradução literal de mashed potatoes. Feio, dona tradutora. Depois de ter me resignado com o erro porquinho, fiquei meio emburrada por ter uma receita tão simples como o purê de batatas figurando no meu presente de Natal. Foi quando me bateu aquele sentimento de “oh shit“. Sem um pingo de envergadura moral pra falar, fui lá corrigir meu erro.

Talvez na próxima vez eu coloque mais leite no purê, mas a adição de noz-moscada deu uma bossa bem significativa à minha primeira tentativa. O estrofonofe, que era o mais complicadinho, saiu bem bom e será repetido. E esses foram meus primeiros passos em diração a uma culinária mais adulta, mais normal e cheia de vitaminas e sais minerais.

joy

E então de noite eu faço sanduíches de egg salad da Joy The Baker pra janta e mando todo o excesso de maturidade pelo ralo. Não tenho salvação.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Um blog sobre tudo, nada ou o que me der na telha. Volátil.

Twitter

%d blogueiros gostam disto: