Volátil Pinacoteca

Abri o Grooveshark e tava lá na página de entrada, como propaganda mesmo: “Escute o novo CD do Quiet Company”. Gostei do visual e cliquei pra ouvir. O som lembra Two Door Cinema Club e The Shins (a banda que muda vidas) e é super gostosinho. Bandinha fowfa e animada, pra colorir essa sexta-feira.

E fotos com marionetes ganham meu coração

Entrei no site da banda e descobri que eles já tem 3 álbuns, um DVD e um EP de Natal (que certamente é galhofa). Será que eu sou atrasada?

O fato é que dá pra ouvir todas as músicas deles pelo próprio site oficial, o que é por definição algo muito amor. Gostaria de ver esse pessoal no MECA Festival do ano que vem.

Anúncios

Spent a week in a dusty library

Waiting for some words to jump at me

We met by a trick of fate

French navy my sailor mate

We met by the moon on a silvery lake

You came my way

Said, I want you to stay

You and your dietary restrictions

Said you loved me with a lot of convention

I was waiting to be struck by lightning

Waiting for somebody exciting

Like you

Oh, the thing that you do

You make me go uuuh

With the things that you do (you do, you do)

I wanted to control it
But love, I couldn’t hold it
I wanted to control it
But love, I couldn’t hold it

Eu sou o tipo de garota que:

  • Não sabe se vestir como adulta.
  • Não se acha sexy.
  • Se acha a Adele quando está bêbada. E canta no Glee Karaokê como para uma grande platéia.
  • Ouve música e se balança enquanto trabalha.
  • Prefere ser engraçada – hey, eu sou engraçada e me orgulho disso, não acabem com os meus sonhos
  • Acha que é perfeitamente normal sair com uma touca de guaxinim na rua.

I mean, seriously.

 

  • Faz posts desinteressantes sobre a sua vida quando não sabe mais o que dizer. O blog é meu, faço a egotrip que eu quiser.

Beijos.

E aí que meus fones quebraram, daquele jeito que só funcionam com o fio em uma maldita posição, UMA MALDITA POSIÇÃO, que obviamente é todo torcido de um jeito que desafia a física.

Então essa sou eu, Brasil, segunda-feira cinzenta, meio de feriado, ouvindo Weezer em um fone colado com decotape de bichinhos.

O tudo de bom Jason Momoa (aka Khal Drogo, aka my sun and stars) vai fazer o novo Conan. Nem curto as histórias do Bárbaro, e ele vai usar delineador de novo, mas como disse a Tati Sehn, ele pode usar até rímel que a gente nem se importa.

Pode ficar aí paradinho sendo bonito

Mas o mais bizarro disso tudo é que a pouco tempo, o senhor Momoa não era assim bonito. Ele usava dreadlock, que me desculpem, mas é um ninho de rato enrolado na cabeça. E ele fazia Stargate Atlantis. Eu via Stargate Atlantis. E não achava nenhum cara desse seriado bonito. E ele fez Baywatch Hawaii, onde era mais um forçudinho aleatório. Meu deus, meu deus.

Basicamente, o Jason Momoa sofre do que eu chamo de Síndrome de Aragorn. O cara suado, raivoso da batalha, sujo e desgrenhado e tá lindo, tá desejo e magia. Toma banho e vira um qualquer coisa.

vai ali matar uns seres do mal e volta depois que a gente conversa

É triste dizer, mas querido Khal Drogo, continue interpretando somente homens bárbaros com delineador nos olhos. De banho tomado, pode voltar pra Malhação, beijos.

Tá aí o culpado do meu sumiço: meu Trabalho de Conclusão de Curso.

Podem xingar, dizer umas poucas e boas, ele merece. Mas se você for da área de TI, pode também dar uma lidinha, pode ser interessante.

E agora vem você dizer: acabo-ou-ô-ou.

Oi, vida, que bom ter você de volta.

Sentiram falta de mim? Hope so, por que eu senti falta de escrever. Só que eu entrei numa fase maldita de novo. Mais perto da formatura, mais louca e cansada eu fico.

Algumas poucas coisas têm sido um refresco pra minha cabeça nesses dias lotados, todas pequenas e rápidas. Já ajudam bastante. Por que eu não tenho lá muita energia pra fazer aloka da balada, por mais que eu sinta uma vontade imensa. Por que eu sou corroída pela culpa se me dedicar a virar um jogo de Play3, enquanto eu tenho material pra digitar.

Por isso, fiquem com essas gotinhas de felicidade que tem deixado esses dias gris um pouquinho coloridos.

Mario Kart Wii

Sim, queridos, eu e meu respectivo compramos mais um console. Mimimimi pra que vocês compraram um Wii se a Nintendo anunciou o Project Cafe. Eu sou traumatizada, me deixa. Sempre quis ter um videogame pra jogar Mario e na última tentativa eu iria ganhar um Wii e acabei com um Play2.

Claro que nós temos vários jogos já, inclusive o coisa-linda-de-deus Epic Mickey (que eu juro que faço review depois de jogar), mas o Mario Kart é rapidinho. Vai lá, joga um circuito, volta pra monografia. E é engraçado, colorido e tem o Baby Mario, também conhecido como personagem-derretedor-de-corações.

Thor

Pausas saudáveis pra um cineminha no meio da semana também contam, aí a gente acorda mais cedo no sábado e compensa. Assiti ontem, sem expectativa nenhuma, e me surpreendeu muito. Filmão.

Assistam. E é só isso mesmo. Acho que eu queria era uma desculpa pra colocar uma foto do Cris Hermworth no post.

10 things I hate about you

Blame on me. Mas a série baseada no filme 10 coisas que eu odeio em você é um amor. Não tem o Heath Ledger, o carinha que faz o Patrick Verona nem é tão bonito, nem tem aquela carinha de sem-vergonha do original, mas é divertido igual.

Ok, na verdade eu não sei bem por que estou olhando essa série. Acho que é por que ela é curtinha (episódios de meia hora) e acabou Californication. E por que é fofinha, engraçadinha e não precisa pensar.

Guilty pleasure no nível de Encantada. Tô adorando.

Cee-Lo Green


Quando tudo mais dá errado, ainda me resta cantar “I’m like FUCK YOU AND FUCK HER TOO“. Sem contar que a parte ” I guess he’s an Xbox, and I’m more Atari”  me faz rir sempre.

Música fantástica.

Um blog sobre tudo, nada ou o que me der na telha. Volátil.

Twitter